©
With ice, please
Respiro palavras.
Sou tinta vazada da caneta, impressa nas alvas entrelinhas.
Marcada na história a nanquim.
Desnudo verdades e afirmo as incertezas como quem de tudo sabe.
Mas vou descobrindo se é realidade ou ilusão no passo dos espaços entre dígrafos e hiatos.
-V.

E que venha a nova era


2 weeks ago 0 notes • sourcereblog

“Homossexualidade e heterossexualidade são como sutiã e biquini, exatamente a mesma coisa, mas um é aceito em público e o outro não.”


Me lembro quando o Tumblr se revoltou com o Eduardo Surita e ele chamou nós de “Unicornios”. Todo mundo usava os themes oferecidos pelo Tumblr mesmo. Depois, começamos a usar os themes da NTBR. Os themes enfeitados era os mais fodas. Os posts eram só com gifs, não fotos e não tinha photoset nem quotes. Os meninos respondia a ask incorporando a Clarice Lispector, e falavam que preferia coração ao invés de bunda e seios. Ninguém criticava ninguém na época. Respeito era o nosso lema, todo mundo tinha respeito pelo próximo. Os seguidores, posts e asks ficavam na dashboard. Não tinha a inbox ali em cima na forma de uma caixinha, que avisava quando chegava a ask. Bom, mudou muito, não é mesmo? Mas não foi o Tumblr em si, foi as pessoas. E hoje, bom, hoje vocês sabem como o Tumblr é.


"I was naked. You would have loved it."


As reticências que ignorei.

Em um quarto iluminado apenas pela fraca sugestão de luz da lâmpada de escrivaninha vintage há um quadro, daqueles feitos de cortiça onde colocamos notas para que relembremos o que devemos fazer ou que fizemos. No meu caso é onde encontram-se as evidências, conectadas por fios vermelhos cortados de um novelo de lã, os fios do destino.

É tudo um tanto confuso e, certamente, admirável, uma bela bagunça. Os fios se entrelaçam e embaraçam de maneira imprevisível, mesmo que tudo conectado por eles já tenha acontecido, ao acaso.

Mantenho-me parada, analisando tudo ali, como as evidências de um crime sem solução do arquivo morto, mas aquele vermelho sangue - que foge ao meu controle, por mais que determine aonde começa e termina  - mantem tudo vivo.

O acaso parece, agora, proposital. A luz enfraquece, já não consigo enxergar os fios com clareza, a bagunça me reflete, há uma confusão. Como não percebi que nunca adiantou determinar o começo e o fim se a lã tem vida própria? Me desculpe, se desculpe.

Mantenho-me longe, pois os fios passaram a enrolar meu pescoço, mas acredito que a história nunca possa mudar, estou fadada aos mesmos nós, achei que fosse diferente, mas é assim, simples assim. 

-V.


Feliz dia do Amigo.


É muito estranho eu me sentir mais viva quando leio as tuas palavraSS?

-V.


Drowning.

           image

Imaginei que hora ou outra isso iria embora, mas o vazio cresce a cada dia, me sufoca e me tira a vontade de descobrir o que vem a seguir. Já não quero ler a próxima página, ou saber o plot do próximo episódio, nem mesmo tenho forças para iniciar uma nova história.

É um bloqueio de criatividade, um bloqueio mental tão grande que me impede de agir de qualquer maneira, fazer qualquer coisa que seja. Sempre afirmei que para vivermos devemos nos manter em movimento e eu perdi essa capacidade, não estou mais viva. Não completamente, apenas em alguns momentos, por algumas horas, depois meu coração volta ao estado de imobilidade. Sinto-me pálida e apática, mudar a cor dos cabelos ou da sombra já não adianta mais, uma roupa nova não supre minha necessidade de dopamina, ou uma barra de chocolate, ou um beijo. Nada mais parece me interessar o suficiente, meu futuro fica embaçado e indefinido. Não consigo decidir nada, opinar em nada…

Minha vida se torna a cada dia um fardo ainda mais pesado e a culpa é inteiramente minha. Quem sabe eu já tenha perdido até a vontade de melhorar, por isso nenhuma distração tem efeito. Sou um caso perdido, mas não o quero ser. Preciso ser uma equação resolvida, mas tenho dificuldade em exatas, todos me dizem que sou mais humanas, então quem sabe não é aí que eu esteja errando… Não há como solucionar um problema se continuarmos pensando do mesmo jeito que quando o criamos, já dizia Einstein.

Encontro-me em estado de apatia profunda, preciso ser consertada, mas não consigo saber por que tem algo de errado aqui. São inúmeras perguntas sem respostas, inúmeras surpresas indesejadas, mas acho que isso é apenas a definição de vida e por isso ainda me encontro nesse estado, só não me sinto assim. É drama demais para uma pessoa tão jovem, é o que dizem… Preciso só parar com o drama e seguir em frente, certo?

-V.


2 months ago 0 notes • reblog

Eu sinto falta da sua voz, a cada dia você soa mais distante em minhas memórias, mas não há raiva que dure quando se trata de nós, e não há nada que diga que me fará deixar de te amar, então, por favor, vamos marcar um café, jogar um pouco de video game, qualquer coisa que me permita olhar nos seus olhos e apreciar o seu riso melancólico, desentalar o grito silencioso que só você deve escutar. Me desculpe, se quiser posso explicar o porquê dessa minha ausência repentina, pessoalmente, mas do fundo da minha alma, me perdoe.

-V.